Altamente valorizado, o design atinge seu ápice atualmente, abrindo um vasto leque de novas oportunidades para sua aplicação e utilização. Dessa forma, ganha força a concepção de projetos exclusivos para as empresas, que em função da concorrência acirrada, esperam e precisam de algo mais em suas campanhas publicitárias. Cabe então ao designer, se especializar e oferecer ao cliente ideias inovadoras e que possam, de fato, trazer esse resultado as mesmas.

A interação do design com a cultura e as tecnologias, inseridas no cotidiano dos profissionais de maneira natural, manifestam sua importância para o processo diário de criatividade que é exigido do profissional de design. E este contribui de várias maneiras na centralização do valor da identidade de nosso espaço visual.

O valor da sensibilidade em observar à sua volta, analisar arquiteturas e as inspirações naturais, encontradas nos detalhes da nossa rotina é de extrema importância para a nossa consciência com o processo de criação e avanço na área de Design. O designer, assim, consegue não só analisar as proporções da comunicação e ter uma reação positiva de enquadramento da mensagem, mas identificar a falta de prefixação das ideias a sua volta.

Como exemplo, citamos a marca Glade.  A empresa teve a ideia de criar uma exposição do seu produto no Museu das Emoções, em Nova York, que através da visão, tato e audição , trazia lembranças e emoções empíricas pessoais com seu produto.

Veja que original:



Essa experiência levou os visitantes a passar por estágios de sensações, como sentir alegria, animação e tranquilidade.

Este envolvimento cultural com o profissional do Design é a parte crucial do trabalho, que mostra a necessidade de se obter esta sensibilidade aos resultados satisfatórios do projeto, na intenção não só de fugir do trabalho massivo, mas conseguir captar algo a mais na mensagem final, seja qual for seu projeto.

Se você ainda tem dúvidas sobre o assunto, fique de olho no blog, falarei mais sobre este tema!